Cinquentenário do Projeto Rondon traz voluntários para 15 municípios de Rondônia

quarta-feira, 8 de março de 2017

Um grupo formado por 310 estudantes de professores de diversas partes do País vai rememorar, em julho deste ano, a primeira ação do Projeto Rondon no estado, ocorrida há 50 anos. Divididos em duas equipes, eles visitarão 15 municípios, levando serviços nas áreas de cultura, educação, saúde, tecnologia, meio ambiente e trabalho, entre outros. O acordo para a realização da missão foi firmado nessa terça-feira (7), em Porto Velho, pelo governo do estado, prefeituras e Ministério da Defesa.
A ação denominada Operação Rondônia Cinquentenário é considerada especial pelo Ministério da Defesa por ocorrer no estado que tem o marechal Cândido Mariano Rondon como patrono.
“O Projeto Rondon tem caráter educativo. Prioriza os estados do Norte e Nordeste do País e, certamente, terá apoio dos prefeitos”, avaliou o tenente-brigadeiro Ricardo Machado Vieira, secretário de Pessoal, Ensino, Saúde e Desporto do Ministério da Defesa, que veio a Porto Velho para participar da rápida cerimônia.
Segundo Ricardo Vieira, cada município escolhido para receber o Projeto Rondon ganha o serviço prestado nas diversas áreas, e, ao mesmo tempo, enriquece os conhecimentos dos estudantes que passam a conhecer um País real, além das teorias. “Não há outro lugar melhor para comemorar os 50 anos do projeto que Rondônia”, completou.
O governador Confúcio Moura disse que conheceu o Projeto Rondon e seus benefícios ainda na década de 60. Para ele, é a oportunidade que os jovens universitários têm para conhecer melhor o País e ajudar os prefeitos com seus conhecimentos.
As comemorações dos 50 anos da primeira presença do projeto em Rondônia são motivo, também, para que os universitários demonstrem, através da iniciativa do Ministério da Defesa. “Vamos contribuir ainda mais para o marechal Rondon ser conhecido pelos seus bons exemplos. Rondônia tem orgulho do seu patrono”, definiu.
O Projeto Rondon fez sua primeira missão em Rondônia em 1967, em julho, durante as férias dos universitários, através da Operação Piloto ou Operação Zero. Estavam no grupo 30 alunos e dois professores da Universidade do Rio de Janeiro, da Universidade Federal Fluminense e da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro.
RONDONISTAS
Durante 28 dias, o grupo realizou trabalho de levantamento, pesquisa e assistência médica no então Território Federal de Rondônia.  Os “rondonistas” prestam importante contribuição à região nesta e nas missões seguintes.
 
Alguns dos participantes até decidiram voltar para Rondônia após a formação superior, onde fixaram residência e constituíram família. Desde então, prioritariamente nos município do Norte e Nordeste do País, os voluntários, que também são conhecidos como os “Amarelinhos”, em razão da camiseta que vestem com orgulho nas missões, são presença constante nos lugares onde o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é baixo.
Na Operação Rondônia Cinquentenário, os voluntários realizarão trabalhos nos municípios de Alto Paraíso, Alvorada do Oeste, Buritis, Cacaulândia, Campo Novo de Rondônia, Candeias do Jamari, Guajará-Mirim, Itapuã do Oeste, Monte Negro, Nova Mamoré, Porto Velho, Presidente Médici, São Miguel do Guaporé, Teixeirópolis e Urupá.
Como política de estado, o projeto é realizado com a participação interministerial e instituições de ensino superior. As forças armadas garantem a logística e segurança dos participantes.
Desde que iniciou suas atividades, o Projeto Rondon já visitou 1.142 municípios de 23 estados, onde estiveram presentes 21. 436 estudantes universitários e professores. Nestes 50 anos, mais de dois milhões de pessoas receberam algum tipo de atendimento dos voluntários.
________________________________________
Fonte
Texto: Nonato Cruz
Fotos: Bruno Corsino 
Secom - Governo de Rondônia
 



Confira o álbum