Casa Militar apresenta ao Governador o Projeto Saúde sem Fronteiras

quinta-feira, 26 de abril de 2012

O governo do Estado deverá garantir, ainda este ano, assistência médica e ações sociais para todas as localidades, por meio do projeto Saúde Sem Fronteiras. Idealizado pela Casa Militar, o projeto prevê a montagem de uma superestrutura logística, que envolve uma carreta, seis vans e um barco hospital, todos equipados para atender à população com consultas e exames laboratoriais, ginecológicos, urológicos, incluindo ultrassonografia, e oftalmológicos, além de assistência farmacêutica, com distribuição de medicamentos

O projeto apresentado na manhã desta quinta-feira (26) ao governador Confúcio Moura pelos majores Maurício Gualberto, chefe da Casa Militar; e Paulo Neri, que coordena a Operação Aciso (Ação Cívico e Social), tem por proposta ampliar e qualificar a ação cívico e social, recentemente regulamentada pela Assembleia Legislativa, considerando os resultados com do atendimento realizado nas comunidades ribeirinhas e de difícil acesso. A Operação despertou interesse inclusive do Tribunal de Justiça, que solicitou parceria quando da realização da Operação Justiça Rápida.

A elaboração do projeto, que conforme o major Gualberto vai colocar Rondônia na vanguarda do País, contou com a participação de Romana Leal Pego, gerente de Saúde da Secretaria de Estado de Justiça (Sejus), que foi responsável pelas explanações para o governador.
Segundo ela, todos os veículos terrestres e o barco, adaptados para atender as pessoas com deficiência, serão custeados pelo Ministério da Saúde, por meio dos Programas Data-SUS, Saúde Mulher/Homem, Saúde Toda Hora, Saúde não tem Preço, Saúde Bucal e o projeto Olhar Brasil, cabendo ao Estado apresentar o projeto e gerenciar as ações.

“Trata-se de uma união sistemática de esforços que tem por proposta igualar a dignidade humana, levando às comunidades o que os municípios não têm”, disse Romana, ressaltando que além das consultas serão feitas também micro-cirurgias em espaço adaptado, enquanto uma das vans será destinada à cozinha industrial para atender à equipe, que também contará com alojamentos no barco e cozinha industrial para não ter que se deslocar às cidades mais próximas.

O major Neri reforçou que além de estar preparados para levar atendimento de saúde e cidadania, as unidades móveis servirão também para o governo prestar assistência em casos de calamidade pública, como enchentes de grandes proporções, uma vez que terão gerador de energia e serão monitoradas via satélite, com acesso à internet.

Demonstrando interesse em ver o projeto executado ainda este ano, o governador sugeriu que haja envolvimento da comunidade, numa gestão terceirizada, para que o projeto tenha continuidade em outras gestões. “Meu mandato acaba daqui a dois anos e meio, mas essa iniciativa tem que permanecer”, frisou o governador, lembrando que está em fase de negociação, junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), o financiamento de um barco que tem também como proposta atender aos ribeirinhos, fechando, dessa forma, os eixos Baixo-Madeira, Costa Marques-Guajará-Mirim e Costa Marques-Pimenteiras.

 



Confira o álbum