Casa Militar Recebe Refugiados Haitianos

domingo, 6 de março de 2011

O Governo do Estado de Rondônia, através da Casa Militar da Governadoria, recebeu neste domingo (06.03), um grupo de 27 homens que chegaram do Haiti com a esperança de melhorar suas vidas em Porto Velho, Rondônia.
O Grupo está viajando desde o dia 07 de janeiro de 2011, quando partiu de seu país de origem (Haiti) com destino ao Brasil, onde no início viajaram de avião direto para Quito no Equador, depois Lima no Peru e por último Rio Branco no Acre, onde seguiram para Nova Brasileia no interior do Acre, os quais depois de algum tempo conseguiram embarcar num ônibus com destino até Porto Velho.
O Subchefe da Casa Militar, Major PM Frederico, diante da missão de acolhê-los em Porto Velho e providenciar acolhida, por ocasião da chegada dos mesmos em condições precárias, pois a maioria já não dispunha de recursos para manter-se e necessitavam de análise clínica e documental por se tratar de estrangeiros oriundos de um país com problemas crônicos de saúde pública e de infraestrutura.
Foi providenciada a consulta à Polícia Federal onde verificaram a documentação e ficou constatado que estão todos em condições legais no Brasil. Logo foram conduzidos à Agência Estadual de Vigilância em Saúde (AGEVISA), passaram por exames de pré-avaliação médica e foi necessário o encaminhamento de um dos imigrantes ao hospital CEMETRON, para exames, os demais foram liberados.
Foi realizado contato com a Secretaria Municipal de Saúde (SEMUSA), a qual se dispôs em fornecer alimentação (café, almoço e jantar) para os haitianos.

O Corpo de Bombeiros Militar cedeu o ônibus para transporte dos refugiados até o Ginásio Cláudio Coutinho.
A Secretaria Estadual de Educação cedeu um espaço no Ginásio Coberto Cláudio Coutinho, onde foram alojados temporariamente com colchões cedidos pelo Hospital de Base.
A Casa Militar providenciou o transporte para condução da alimentação e todo apoio necessário para suprir as necessidades básicas. Foi realizado ainda um levantamento que constatou que todos os imigrantes tem algum tipo de formação: técnicos em informática, bioquímicos, pedreiros, encanadores, ajudantes de pedreiro, garçons, eletricistas e motoristas. Detém ainda o domínio de outras línguas: Francês, Espanhol e Creole (ou Crioulo) e alguns ainda dominam o Inglês.
A Casa Militar realizou ainda contato com a Secretaria de Ação Social (SEAS), onde foi informado sobre o ocorrido e solicitado um futuro apoio para os mesmos, por ser missão precípua daquela secretaria.
Após um ano do fatídico terremoto que atingiu o Haiti e destruiu aquele país da América Central, muitos haitianos tem procurado seguir suas vidas, mas devido a poucas oportunidades, buscam destinos incertos, muitas vezes sem direção, na esperança de conseguir um emprego que possa ajudar no sustento de suas famílias. Vale ressaltar que tal atitude não garante que terão sucesso na empreitada, o que geralmente ocorre é que o dinheiro acaba e terminam mendigando o próprio sustento.
O apoio foi prestado ainda pelo Gerente de Segurança, Capitão PM Drayton e pelo Chefe de Gabinete do Secretário da Casa Militar, Capitão PM Figueiroa.



Confira o álbum