Medidas Emergenciais na Saúde

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

O Governador de Rondônia, Confúcio Moura, se reuniu na tarde da última quarta-feira (5) no gabinete da prefeitura de Ji-Paraná com prefeitos e representantes das secretarias de saúde dos municípios de Vilhena, Cacoal, Ji-Paraná e Ariquemes. No encontro foi firmado um pacto de reestruturação do setor de saúde, com o objetivo de diminuir o fluxo de atendimentos do Pronto Socorro João Paulo II, em Porto Velho.

A reunião foi convocada pelo Governador imediatamente após visitar as condições de atendimento do João Paulo, na manhã do dia 03 de janeiro. “Condições desumanas de atendimentos, sem capacidade de receber mais nenhum paciente. Não tenho vergonha de publicar que a situação do João Paulo II esta muito além do limite, pacientes estirados no chão, na recepção, muitos sem atendimento. Não pode continuar assim. Que os jornais registrem, mostrem e lutem comigo para mudar a realidade do João Paulo II”, afirmou o Governador, que disse ainda que o governo necessita da cooperação dos municípios. Moura disse que firmará convênios para destinar recursos para a reestruturação das unidades de saúde do interior.

Entre as medidas imediatas discutidas na reunião está a contratação de profissionais de saúde em caráter emergencial, com a autorização da Assembleia Legislativa.

Em Ji-Paraná, um convênio para a realização de cirurgias ortopédicas será renovado. O Secretário de Saúde do município, Abrahim Chamma, disse que há necessidade de aumento no repasse de recursos, pois, segundo ele, o hospital recebe pacientes oriundos de mais de vinte municípios.

O prefeito de Ariquemes, Márcio Raposo, lembrou ao Governador Confúcio Moura que o convênio com as UTI’s em Ariquemes também precisam ser renovados. O Governador ressaltou que isso também é prioridade e se trata de um procedimento de urgência.

O Governador disse que no pronto socorro da capital cerca de 250 pacientes estão na fila de espera de cirurgias. “Precisamos que os municípios recebam de volta seus pacientes, o João Paulo não tem condições de cuidar de toda essa demanda”. Para isso, propôs a assinatura de convênios para o repasse de recursos para a compra de materiais cirúrgicos. Os participantes da reunião concordaram com a proposta do governador, sendo unânimes em afirmar que, devido à falta de apoio do governo anterior, não estavam conseguindo atender os pacientes em suas regionais.

Outra proposta que Moura levou para a reunião em Ji-Paraná é a da criação de uma Central de Regulação no Estado. “Hoje já temos alguns municípios com esse procedimento funcionando. O Estado está atrasado, com tudo registrado pode evitar muitos encaminhamentos indevidos de pacientes para Porto Velho".

O prefeito de Cacoal, Padre Franco, lembrou que seu município possui um hospital recém-inaugurado com centenas de funcionários inativos por falta de recursos e apoio. O prefeito falou emocionado sobre o empenho do governador para resolver a “alarmante crise que se estende na saúde do Estado, tendo como foco principal o João Paulo II”.

Acompanhando o Governador estiveram presentes na reunião o Secretário de Saúde do Estado, Alexandre Muller, o adjunto José Batista da Silva e o Procurador Geral do Estado Valdecir Silva Maciel.

Representando o município de Vilhena o secretário de Saúde Vivaldo Carneiro Gomes reforçou que a falta de apoio governamental era o principal motivo para a escassez do atendimento, e que, com o apoio do governador Confúcio, Vilhena estará com toda a sua estrutura de saúde à disposição para atender a demanda da cidade.

A ida do Governador a Ji-paraná foi acompanhada pelo Secretário Chefe da Casa Militar, Major PM Gualberto, além do pessoal da segurança.

 
Fonte: DECOM - Departamento de Comunicação Social



Confira o álbum